Por: Anderson Favero | 2 meses atrás

Ontem a Petrobras anunciou um reajuste no preço do gás de cozinha. O aumento entrou em vigor hoje, cerca de 12,9%, reflexo da variação das cotações do produto no mercado internacional. Mas, além do gás de cozinha, o Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) da Petrobras, anunciou novas mudanças também no preço do diesel e da gasolina, mas desta vez para baixo.

Para o diesel, o GEMP estabeleceu queda de 0,2%, o último reajuste no preço do diesel foi a redução de 1,3%. Para a gasolina, foi estabelecida retração de 2,6%, após aumento de 1,5%.

A estatal adotou o novo formato na política de preços desde o dia 03 de julho. A nova metodologia torna possível a alteração nos preços dos combustíveis com maior frequência. No entanto a variação acumulada por produto precisa estar dentro do limite de -7% a +7%.

O último reajuste apresenta queda nos valores dos combustíveis. No entanto, desde que foi implantada, a nova metodologia apresentou uma alta considerável nos valores. No total, a gasolina acumula alta de 10,22% e o diesel valorização de 11,78%.

O  impacto do reajuste no preço que o consumidor paga pelo combustível depende de outros fatores no mercado, como distribuidoras e postos revendedores.