Por: Anderson Favero | 1 mês atrás

Nesta quarta-feira (13), o deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC) protocolou ofício, no Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), solicitando que seja reconsiderada a decisão sobre a Certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas) do Verde Vida Programa Oficina Educativa, de Chapecó.

Entenda

No início de dezembro, o pedido de renovação do Certificado de Filantropia (como é mais comumente conhecido) foi indeferido através da Portaria nº 194/2017. A justificativa apresentada pelo MDS foi que a entidade não atua no âmbito da assistência social.

Agora, por meio de um recurso administrativo a entidade esclareceu os pontos questionados pelo Ministério e ressaltando a importância dos 23 anos de atuação do Programa Verde Vida em Chapecó.

O coordenador da área social do Verde Vida, Odair Balen durante reunião com Valdir Colatto e Cleiton Fossá (Divulgação/VOZ)

Mobilização

A solicitação de intervenção no assunto foi feita no início da manhã desta quinta-feira, 14, durante reunião dos representantes da entidade Odair Balen, Edinei R. Scalvia, o advogado André Fossá e o vereador de Chapecó Cleiton Fossá, no escritório do deputado Colatto.

Durante a reunião, o coordenador da área social do Verde Vida, Odair Balen, ressaltou a importância do certificado para a entidade. “Esperamos que o Verde Vida siga sendo beneficiado com a filantropia que é tão necessária na manutenção das atividades do programa. Sem ela nós não temos como tocar adiante nossas atividades”.

O que é a CEBAS?

É a certificação concedida às entidades que atuam nas áreas da assistência social, saúde ou educação, possibilitando usufruir da isenção de contribuições para a seguridade social e a celebração de parcerias com o poder público, desde que atendam aos requisitos dispostos na Lei nº 12.101/2009.

Sobre o Verde Vida

A entidade possui um importante papel social com o município de Chapecó (SC). Atendendo cerca de 100 adolescentes na faixa etária de 10 a 17 anos, com vulnerabilidade social, através de oficinas socioeducativas, da coleta e seleção de materiais recicláveis e, ainda, gera dezenas de empregos aos moradores da região do bairro São Pedro e Bom Pastor.